Home

No mês passado, eu estava comentando-barra-confessando no trabalho uma das inúmeras manias estranhas que tenho. Se eu te contasse cerca de três delas, aposto que você ficaria rindo por uns dois minutos seguidos, tentando entender como o mundo pode ser tão díspar e idiota ao mesmo tempo.

Bom, não cabe a mim a tarefa de te contar quais são essas minhas manias, porque eu sei que você vai me julgar e a última coisa que nós, donos de manias, não gostamos é de sermos julgados. E não adianta você me jurar de pés juntos que não vai fazer isso, porque eu sei que vai. Ah, vai. Olha, vocês não sabem o quanto é difícil lidar com a sensação de ser uma bolinha preta numa piscina de bolinhas brancas.

Isso já foi motivo de choro. Isso o quê? As risadas sobre as minhas manias. E não adianta você dizer que isso não faz sentido. Porque elas são um bocado estranhas mesmo e são pouquíssimas as pessoas que as enxergam com bons olhos. Por acaso, você conhece alguém que conta quantas vezes a escova de dente passa por cada lado da boca? Ou então alguém que arruma o sorvete para que ele fique simetricamente alojado no pote? Se você conhece alguém assim, por favor, me apresente.

Porque eu precisei da ajuda de um livro para entender que sou normal como você, que não faz questão de contar quantas vezes a escova passa por cada lado da boca. Sim, eu juro. Parece piada, mas não é. E, se você sabe de alguém que se sente anormal por causa disso, me avisa porque eu quero indicar essa obra para ela, do mesmo jeito que me indicaram. Afinal, se só os loucos se entendem, acredito que ninguém melhor do que uma pessoa como eu para falar sobre o assunto.

Mentes E Manias: Entendendo Melhor O Mundo Das Pessoas Sistemáticas, Obsessivas E Compulsivas é uma obra da brazuca Ana Beatriz Barbosa Silva, que decidiu estudar a fundo o mundo de quem sofre com suas “esquisitices”. Olhando assim de longe, parece que as palavras “sistematização”, “obsessão” e “compulsão” significam as mesmas coisas, mas é só viajar por essa obra que você entende que esse mundo também faz parte de cada um.

Mesmo que você se considere uma pessoa “normal”, sugiro que leia essa obra. Esse é um daqueles livros que a gente lê e fica feliz por saber que tudo na vida tem solução. E se não tem, solucionado está*.

Observação: aproveito esse texto para deixar um agradecimento especial ao meu chefe-barra-mestre na F Martins Comunicação Integrada. Provavelmente, ele nunca saberá que esse texto foi escrito para ele, mas tenho certeza que o meu sentimento de gratidão (por alguém ter enxergado as minhas atitudes como algo positivo, por mais estranhas que elas pareçam) já foi entregue em suas mãos. Obrigada, Fernando Martins.

*trecho da música Linda de Morrer, do rapper Marcello Gugu (“O que tem solução, se solucionará. O que não tem, solucionado está.”)

Fonte: Skoob

Fonte: Skoob

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s