Home

Tem algumas coisas na vida que você não sabe porque demorou tanto tempo para fazer, mas, quando se dá conta disso, é quase como se o mundo inteiro soubesse de uma coisa que só você não estava sabendo. Começo esse texto com um lamento (em tom de queixa) porque descobri que faz três anos que não lia alguma obra do Kerouac. Não sei o que isso significa pra vocês, mas para mim significa um bocado de coisas.

“‘Estou triste porque a vida és dolorosa’, repito sempre, na esperança de ensinar a ela a Verdade Número Um das Quatro Grandes Verdades.”

Eu não lembro como conheci o Jack Kerouac, mas sei que foi bem antes do “On The Road” virar filme. Tive uma enorme dificuldade para entender o contexto da geração beat na época e, quando dizem que algumas coisas na vida demoram pra fazer sentido, eu tenho que dar o braço a torcer. Quando me aventurei em “On The Road” em 2012, achava que Kerouac era do tipo que escrevia com humor ácido. E, se tem uma característica que passa longe desse escritor americano é humor.

“Eu digo ‘la vida es dolor (a vida é dor), ela concorda, diz que a vida também é amor.”

Tristessa está longe de ser o melhor livro de Kerouac e, mesmo tendo apenas dois livros de sua autoria, sei que há obras não lidas por mim que, com certeza, me fariam conseguir eleger o grande magnus opus dele. Mas, sabe quando você lê um livro no momento certo da sua vida? Tenho certeza que se tivesse conhecido essa viciada em morfina em outro momento da minha vida, teria perdido a sensibilidade de entendê-la.

“Desde tempos imemoriais e adentrando o futuro sem fim, os homens amaram mulheres sem dizer a elas, e o senhor os amou sem dizer, e o vazio não é vazio porque não há nada para ser esvaziado.”

Fui atrás da sinopse da L&PM Pocket, para encontrar a melhor forma de apresentar a vocês a história de uma mulher que vive na Cidade do México, é uma viciada em morfina e, mesmo com todos os problemas do mundo, conseguiu ser um grande personagem na vida de Keroauc. O livro é curto e rápido, portanto, quem quiser ter um parâmetro não sentimental dessa obra, basta clicar AQUI.

“Suave é o chuviscar que perturbou minha calma.”

Antes de terminar o texto, eu preciso dizer uma coisa para vocês: queria ser Tristessa. Bom, se você já leu esse livro, acredito que essa minha afirmação tenha sido um choque. E não me surpreenderia se alguém jogasse uma pedra em mim por causa disso. Tristessa é basicamente o que o seu nome se assemelha: tristeza. Mas é uma daquelas tristezas que você consegue e quer ficar perto, entende? É uma daquelas tristezas pela qual você sente compaixão e compreensão porque, alguma vez na vida, já se sentiu perdida em uma substância que controla você. Pode ser a morfina, literalmente falando, ou pode ser o medo, por exemplo, que não é substância, mas causa o mesmo efeito em você.

“Resolvi ficar com ela e dormir onde ela dormir, mesmo se ela dormir em uma lata de lixo, em uma cela de pedra cheia de ratos…”

“Algumas pessoas têm vibrações que saem direto do coração vibrante do sol, frescas e vivas…”

Fonte: Skoob

Fonte: Skoob

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s