Home

Desde que comecei o Pitacos Culturais, em 2013, muita coisa mudou na minha vida. A forma que os meus olhos veem e compreendem o mundo ficou mais sensível e eu poderia dizer que ser uma leitora eclética me deixou assim: insaciável por novas histórias. Ontem, conheci um canal no YouTube chamado “Ler Antes de Morrer”, em que uma jornalista enfrenta a missão de ler 1001 livros até a sua morte. Parece coisa de louco, mas desde que decidi ler uma obra de cada vencedor do Nobel de Literatura, o mundo provou que tudo é possível.

“Bem diz o ditado: quem sofre a mesma doença, sente a mesma dor.”

Eu não sei se vocês já pararam para dar uma olhadinha na lista de vencedores do Nobel de Literatura que tem na Wikipédia, mas, cada vencedor do prêmio tem uma frase explicando o motivo da sua homenagem. Nunca tinha parado para questionar o porquê de fulano ou ciclano ter ganhado o prêmio mais nobre da literatura, mas essa última leitura me fez refletir bastante. Por que o chinês Mo Yan é um dos contemplados?

“Um grande vilão tem sempre algo de heroico, e um grande herói tem sempre algo de vil.”

Em 2012, o prêmio suíço alegou que Mo Yan “com realismo alucinatório funde contos populares, história e contemporaneidade”, fazendo dele um autor de reconhecimento. Na China, ele é um escritor bastante popular, sendo alvo até de pirataria. O que me surpreende bastante, pois a experiência que tive com sua obra, intitulada Mudança, me faz duvidar do seu merecimento. Sim, eu sei que é injusto julgar um autor apenas com uma obra, mas é que uma sensação de incompreensão está tomando conta de mim.

“Daí se vê que a vida é cheia de mudanças, o acaso é que ata as pontas do destino. Tudo se encaixa de maneira estranha, bizarra mesmo, ninguém é capaz de prever essas coisas.”

Mudança é um livro escrito em primeira pessoa, de forma autobiográfica. Mo Yan relata os principais acontecimentos da sua infância, adolescência e também do seu período ainda adulto, mostrando como o ser humano muda as suas atitudes com o passar dos anos. Olhando assim, parece até um assunto supérfluo, sendo interessante apenas para quem se interessa pela história de vida dos outros.

Mas, confesso que as curiosidades da cultura chinesa mostradas em todas as páginas do livro, do início ao fim, me fazem admitir que todo livro, por mais desinteressante que possa ter parecido, é uma aventura única. Descobertas pequenas nos deixam tão grandes que seria até mesquinho dizer que não levei nada dessa obra. É complicado dizer que eu esperava mais, sendo que se alguém me perguntasse “o que eu esperava”, não saberia responder.

Mudança

Fonte: Skoob

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s