Home

Acho que já perdi as contas de quantas vezes fui enganada pela capa de um livro. Na maioria das vezes, a decepção foi o maior dos sentimentos, mas, dessa vez, fui surpreendida de forma totalmente positiva. Nada, da dinamarquesa Janne Teller, chamou a minha atenção porque pensei estar embarcando em mais um daqueles romances bonitinhos, afinal, sabe como é: fim de ano chegando, clima de amor…

Eu realmente estava afim de ler algo mais meloso, mas o que vi em Nada foi o contrário: uma história rápida, curta e com um enorme significado (quem já leu o livro vai entender essa referência logo de cara). Mesmo assim, a obra tem mais de 350 mil exemplares vendidos só na Europa. Parece pouco, mas dada a importância que Nada parece ter, isso é realmente um número bem grande.

“Porque tudo começa só para acabar. Você começa a morrer no instante em que nasce. E isso vale para tudo.”

Bom, vou tentar fazer um resumo pra vocês. O livro tem um personagem principal chamado Pierre Anthon, juntamente com uma narradora chamada Agnes, que você vai demorar um tempo pra descobrir o nome. A questão é que Anthon, aluno do sétimo ano, decide que a escola não serve nada para sua vida; e não só isso: nada na vida importa. Nem filhos, nem trabalho, muito menos estudos. Tudo isso, para ele, é insignificante. Então, ele decide viver nos galhos de uma ameixeira, tentando convencer os seus amigos de que está certo.

No entanto, toda a sala de aula resolve se unir e tentar convencê-lo a descer da árvore. A ideia era juntar uma pilha de coisas que tivessem muito significado para cada um, afinal, o objetivo era mostrar que a vida não é insignificante. Porém, com o passar do tempo, as exigências de coisas para essa pilha começam a ficar mais perigosas, pois cada um passa a querer algo de suma importância, fazendo com que percam o controle e o limite dos pedidos.

O resultado é um final nada feliz, mostrando que tudo na vida tem consequências e que é preciso abrir mão das coisas todos os dias. Outro ponto importante é que vivemos em uma sociedade em que as coisas funcionam com violência, sob ameaças constantes esem nos importarmos para o sentimento dos outros. Somos egoístas desde crianças e é preciso muito tempo para aprendermos isso. Experiência própria.

“Choramos porque havíamos perdido algo e ganhamos algo. E porque perder doía tanto quanto ganhar. E porque sabíamos o quanto tínhamos perdido, mas ainda não conseguíamos pôr em palavras o que havíamos ganhado.”

Nada

Fonte: Skoob

Anúncios

2 pensamentos em “Nada (Teller, Janne)

    • Olá Raphaella! Fico contente que gostou da resenha e que consegui te convencer a ler. Sabe como é, nesse mundo literário, uma indicação aceita é tipo uma loteria. Haha.

      Dei uma olhadinha no seu blog e já estou seguindo. Adorei o conteúdo. Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s