Home

Sabe aquele livro de ficção que você realmente gostaria que nada daquilo tivesse a hipótese de ter acontecido com alguém? Eis o que temos um aqui. Intitulado O Muro, do britânico William Sutcliffe, a obra é uma daquelas novelas que te consomem e fazem desejar que tudo não tenha passado de apenas um pesadelo. Pena que não é bem assim.

Apesar de totalmente ficcional, qualquer leitor de Sutcliffe consegue se posicionar na história e imaginar como os acontecimentos não fogem muito da realidade de algumas pessoas. Em O Muro, temos um adolescente chamado Joshua, que se muda para a cidade de Amarias com a mãe e o padrasto. O lugar é isolado e fica no topo da montanha, sendo separado por um muro bem alto e guardado por soldados armados. Aqui, ninguém entra e ninguém sai sem passar pelo posto de controle, exceto para Joshua.

Certo dia, sua bola nova cai do outro lado do muro e decide ir buscá-la, ignorando todos os avisos de segurança. O que ele descobre é um cenário totalmente diferente do seu cotidiano, além de um túnel, que não faz a mínima ideia de onde acabará. Ao seguir o caminho misterioso, o final é surpreendente: afinal, o muro tem um outro lado e ele acaba de conhecê-lo. Tudo poderia ter sido apenas uma aventura emocionante, caso não se deparasse com uma gangue de meninos violentos. Ao ser salvo por Leila, uma jovem garota pobre, Joshua descobre que acaba de arrumar uma dívida para o resto da vida com o outro lado da barreira.

Diferentemente da maioria dos livros sobre guerra, O Muro é uma história curiosa. Ressalta bastante a coragem e a inocência do personagem principal, mas também reforça muitos outros elementos indiretamente. Primeiro, temos um adolescente que vive com Liev, o padrasto que tanto odeia. Além da falta de afeto da família, ainda tem que lidar com a violência física e oral do homem. Outro ponto importante a ressaltar é que Joshua é responsável e mostra que é um adolescente que amadureceu mais rápido que os demais. Assim como muitas crianças que conhecemos, também sofreu bullying na escola. Mesmo assim, foi capaz de cumprir suas promessas e de fazer escolhas que sempre resultassem no bem-estar dos outros.

O que contei aqui não é nem a metade do que se passa na obra de Sutcliffe, mas é uma porcentagem do que eu gostaria de que soubessem. O caos está mais próximo do que imaginamos e estamos nos destruindo por muito pouco. A cada página de O Muro, pude sentir que, mesmo no meio de toda essa bagunça, ainda existem pequenos e grandes heróis sem capa. Mas Lu, tem final feliz no livro? Tem tragédia e, claro, tem final feliz sim. Ainda bem que sim!

“Se você tem a chance de desvendar um segredo e vai embora sem dar uma olhadinha, há algo errado com você.”

O Muro

Fonte: Skoob

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s