Home

Agradeça Aos Agrotóxicos Por Estar Vivo - Nicholas Vital

Pense que você está rodeando pelos corredores de uma livraria e encontra alguns títulos, como Bela Cozinha, da Bela Gil ou Você é o Que Você Come, de Gillian McKeith, assim como tantos outros livros sobre alimentação saudável. De repente, você se depara com o lançamento do jornalista brasileiro Nicholas Vital: Agradeça Aos Agrotóxicos Por Estar Vivo, do Grupo Editorial Record, nossa parceira no blog Pitacos Culturais.

Com certeza, o título será capaz de gerar diferentes sentimentos, estranhezas, distanciamentos e curiosidades, cumprindo o seu propósito. Fico feliz que ele tenha chamado a sua atenção e, se você cair nessa armadilha, será levado para um lado pouco debatido, informado e explorado pela mídia, ainda mais do modo que Vital faz.

“O preconceito em relação aos agrotóxicos, como vimos, é uma questão de conveniência. Se queremos nos livras de baratas em casa, tudo bem. No saco do fumacê contra a dengue, tudo bem também. Quando instalamos um repelente de tomada para espantar os pernilongos à noite, maravilha! Agora, o uso dessas substâncias nas áreas rurais, a milhares de quilômetros de distância da sua casa, ah, não, isso, não pode. ”

Um dos primeiros pedidos de Nicholas Vital é para começarmos o livro sem preconceitos, sem um “juízo” concebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude discriminatória, sem sermos simplistas ou grosseiros. Porém, o que o autor nos pede é um desafio, visto que, vivemos em uma sociedade que exige seu posicionamento em todos os assuntos, até àqueles que você desconhece. Tudo isso para saber se você “pertence” ou não a determinado grupo.

O exercício é um tanto quanto difícil, mas de valor importantíssimo. Vital pede para que realizarmos uma análise mais profunda e racional, pois tem a noção de que fomos bombardeados por notícias negativas em torno dos agrotóxicos. Então eu me pergunto: o quanto nós realmente sabemos sobre o tema? Deixando de lado o senso comum, obviamente, acredito que você saiba tão pouco quanto eu.  Aposto também que sua opinião “formada” sobre o assunto é negativa e o único problema mesmo é permanecer estagnado numa hipótese sem fundamentos.

Vital produz, em cada capítulo, pequenas provocações. Com o passar das páginas, ele mesmo vai direcionando o nosso saber para o seu objetivo: mostrar que os agrotóxicos não são tão ruins como você, eu e todos nós pensamos. Deixo aqui uma crítica para a composição do autor, principalmente quando cita sobre ideologias, onde pude sentir um pouco de ranço do autor com determinado partido político.

Suas críticas citam nomes, datas e siglas partidárias, porém, percebi que quando a outra agremiação partidária envolvida no que conhecemos como “Máfia da Merenda”, o mesmo cita o assunto superficialmente e sem mencionar nomes aos bois. Eis que me perguntei: “será que o jornalista foi tendencioso?”. Fica a pergunta.

“Importante destacar que os agrotóxicos não são todos iguais. Assim como os medicamentos, que combatem os mais diversos males, os defensivos agrícolas também se dividem em várias categorias e agem de formas distintas.”

Enfim, a única linha que devemos levar em consideração é aquela em que o autor faz referência ao agrotóxico, explicando que não favor do uso descriminado e sem controle, muito menos a favor da grilagem de terra. Devemos ser, sim, a favor do aperfeiçoamento dos defensivos agrícolas, que protegem e defendem as plantações contra as pragas, justamente para que essa plantação chegue às nossas mesas em forma de grãos, frutas, legumes e verduras.

Vivemos em um momento no qual desconhecemos o processo de plantação que chega em nossa mesa. Para muitos, a seção de hortifruti nos mercados e a própria mídia nos dão a impressão de que uma plantação “livre” de defensivos agrícolas é mais saudável. A pergunta é: como garantir que estamos levando para casa o produto certo?

Entre as outras dúvidas, é importante se perguntar também: será possível alimentar todas as pessoas com esse processo de produção? Será mesmo que estamos pensando em todos os processos, desde as sementes até o que chega ao consumidor final? Por isso, eu aconselho a leitura de Agradeça Aos Agrotóxicos Por Estar Vivo e veja com os seus próprios olhos o bom serviço que Vital oferece, trazendo as informações baseadas em um estudo com levantamento de fontes bibliográficas.

Resenhista: Lucas Gonçalves

Agradeça Aos Agrotóxicos Por Estar Vivo

Fonte: Skoob

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s