Home

Tyler Durden está de volta. É isso mesmo! Agora, em uma outra mídia: não é um livro e tão pouco um filme, mas sim, uma HQ. E olha, não seria possível apresentar essa história se não fosse pelos quadrinhos.

Eu acredito que a grande maioria dos fãs de Clube da Luta, inclusive eu, foi impactado majoritariamente pelo filme de 1999, dirigido por David Fincher e estrelado pelo não mais “bom moço” Brad Pitt. A história conta a vida de um homem deprimido que sofre de insônia e que visita grupos de auto-ajuda com problemas que ele não sofre, até que em um momento ele conhece um vendedor, e juntos essa dupla organiza um grupo de regras rígidas onde homens lutam. Essa história você já conhece, não é mesmo?

Já em Clube da Luta 2, a história passa 10 anos depois dos fatos que ocorreram da versão original e demonstra todas as consequências dos atos, que acabam sendo muito interessantes. Revisitar os personagens, mesmo que eles estejam totalmente diferentes – e isso é natural -, já que o grupo com regras rígidas onde apenas homens podiam participar e lutar tem outra proporção e importância para o desenrolar dessa nova história, mas isso você precisa ver com seus próprios olhos.

A verdade é que Clube da Luta 2 não apresenta nada de inovador e isso não é ruim. Tudo aquilo que você espera do tradicional Clube da Luta, ou seja, muita, mas muita violência, muito mais muito sangue e cenas desnecessárias de sexo e palavrões. Enfim, tudo aquilo que um fã de Chuck Palahniuk já esta acostumado e espera aparece nesta edição.

“Humanos não cultivam ideias, muito pelo contrário.”

Outro ponto importante dessa obra é como o autor dispõe as informações pelas páginas, as cores, o uso de cada quadro para reforçar a informação – às vezes, gotas de sangue e até pílulas de remédio impossibilitam a leitura dos balões, apenas sendo possível fazer isso com os quadrinhos. Além disso, o que o autor traz no último arco da história faz total sentido ter sido escrito para as páginas de uma HQ.

Em resumo, Clube da Luta 2 tem um ritmo frenético. Em certos momentos, você se sentirá confuso por toda a loucura e metalinguagem. Também não espere uma história em quadrinhos, daquelas tradicionais como as de super-heróis. Cara, essa HQ é insana e, se não fosse escrita por Palahniuk, dificilmente ela seria aceita pelo público.

Resenhista: Lucas Gonçalves

Clube da Luta 2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s